2 de outubro de 2016

The Gymnastica V

Concluindo as histórias da viagem à Alemanha; podes (re)ler, clicando em cada uma.




A viagem a outro país, a estadia e a participação num evento intercultural em torno da dança interpretativa deixou marcas. Uma perspetiva nova e mais abrangente é inequivocamente a melhor definição desta história.
Naturalmente nem tudo pode ser perfeito. Sim, ocorreram imprevistos e até obstáculos a serem contornados – se não à primeira, à segunda ou à terceira. Faz parte!
Surpreendi-me com um sentimento, até então, adormecido. Ser português cá dentro é bem diferente de o ser lá fora. 
Como assim?

  • Decorriam as exibições com uma das classes em cima no palco; de repente ouve-se Amália Rodrigues a cantar «Gaivota» (ouvir aqui), arrepiaram-se todas as partículas de mim. Nos três serões seguintes, tal emoção reproduziu-se.
  • Encontrar tugas no meio da multidão tem um cheiro especial.
  • Um “obrigado” esforçado com prenuncia germânica suscita orgulho.
  • Ao entrar no avião de regresso os meus ouvidos captaram português bem falado e música portuguesa. Que bem que soube!
  • Sentir a minha terrinha, a minha caminha e aqueles mimos que só os nossos sabem dar… d e l i c i o s o!
  • Não há café como o nosso e nem a um preço tão bom (risos!).


Viajar é tão bom! Embarcava já amanhã se pudesse; daqui a uns dias, talvez. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário