14 de abril de 2018

Liberdade


A liberdade permanece quando:
há espontaneamente para Estar;
se escolhe Entrar;
se opta por Sair;
é permitido Aceitar;
não se está isento de Recusar;
é doada a hipótese de Errar;
se persiste até Acertar;
se respira para Continuar;
é melhor Recomeçar;
se dá a Partilhar;
se fecham os olhos para Guardar.

Onde houver coerência para Ser o amor floresce sem fim.


19 de março de 2018

Em dia de aniversário...

Custou, mas creio ter começado a encarrilar. Apalpo o chão de um caminho mais acertado para percorrer.
A saudade entranhou-se no meu respirar. A vontade de gritar outrora intérmina foi sendo confiscada com intervalos de tempo onde consigo sorrir. A ausência de ti vai doer sempre mas começo a sentir alguma esperança redentora. Procuro reconstruir-me.
Quero acreditar que honro o amor incondicional com que me criaste e que te deixo orgulhosa. Neste meu aniversário, vislumbro para lá do teu lugar vazio. Se faço anos, se procuro uma versão mais apaziguada de mim própria e se sobrevivo cumpro a tua vontade.
Um amor transcendental como o nosso é infinito, por isso continua a brilhar sempre no céu de quem ama intemporalmente.
Obrigada, mãe, por um amor maior que o mar e suavemente leve.
Amo-te.

14 de março de 2018

Pensamento #26


Cada partícula com vida é especial à sua maneira.
Mulheres, homens, animais, plantas, estrelas.. preenchem um mundo belo na sua infinita e perfeita diversidade.

|14-03-2018|

9 de janeiro de 2018

Pensamento #25


Simplificar é o caminho.

4 de janeiro de 2018

#leitura







O livro "Renascer," de Kamal Ravikant despertou em mim um interesse inesperado, quase um chamamento. 
Comprei-o em promoção. Logo a seguir, quando vi a comparação com Paulo Coelho, fiquei desiludida e arrependida. Esteve na prateleira uns tempos, até que a curiosidade venceu.
Uma obra surpreendente. Bom alinhamento da narrativa. 
Confesso que me trouxe algumas respostas sem ter lido com esse fim. 
Recomendo vivamente.

Sinopse

Esta é a história de um homem que procura um sentido para a vida. E que só o encontra no Caminho de Santiago. Amit é americano, está na Índia, leva consigo as cinzas do pai, para as libertar nas águas do Rio Ganges. Amargurado, triste, chegou a um ponto em que nada parece fazer sentido. Não acredita em Deus, na meditação, no trabalho ou no amor. À procura de respostas, os seus passos conduzem-no a Dharamsala, a pequena aldeia no sopé dos Himalaias onde vive o Dalai Lama. Um monge que encontra pelo caminho, e a quem pede conselhos, conta-lhe um segredo: para encontrar a paz é preciso dizer que sim a tudo, dizer que sim à vida.  Não é esta, porém, a resposta que Amit procura. De volta à pousada, ao fim do dia, conhece um italiano que sonha em fazer o mítico Caminho de Santiago: “Todos se encontram a si próprios no Caminho”, diz ele. “Todos. Sem o saber, Amit já começou a peregrinação. Em breve chegará a Espanha, onde o esperam 850 quilómetros de uma longa caminhada, que completará em 37 dias. Através de paisagens de uma beleza de cortar a respiração, o relutante peregrino descobre que não está só. Há sempre alguém que o acompanha, há histórias para partilhar, amizades que nascem e crescem à beira da estrada. Renascer é um romance mágico que na tradição das obras de Paulo Coelho e Mitch Albom nos fala do perdão, das coincidências, e do amor que renasce das cinzas.



31 de dezembro de 2017

Em 2018...


Em 2018 espero por mim.
Vou renovar-me.
Quero caminhar de mão dada comigo, quebrar as amarras que me prendem aos medos imaginados, que me ocultam naquilo que não sou mas acredito ser.
Quero serenar o peito. Arrumar os "porquês" do sabor amargo do desgosto e da saudade.
Vou perdoar os meus erros: apreciar as minhas imperfeições de espírito aberto, tanto para corrigir como para aceitar. Sou imperfeita e sempre serei, faz parte da condição humana. Não posso e nem poderia alterar os acontecimentos.
Vou gostar de mim sem me considerar mais importante que ninguém, mas sem que ninguém dite ou defina a minha real importância.
Vou ouvir-me, escutar-me, escolher por mim, aprender sempre com os outros, com humildade e aceitação.
Não conto com facilitismo e nem com truques de magia ilusória.
Espero apenas observar que em 2018 sobrevivi a 2017 com vontade e condições para prosseguir em frente.

Sejamos felizes.

15 de dezembro de 2017

Ao mar

#palavras ao mar

Tanto para te dizer entre silêncios.
Sei que não tenho feito justiça, cumprindo o que tu desejarias.
É difícil imaginar o que me dirias se cá estivesses. Cruelmente tens vindo a tornar-te numa sucessão de imagens estáticas e sem voz. Quando eu mais preciso dessa voz para me  orientar, para me impedir de sucumbir a estas trevas.
“O que é que eu vou fazer?” – Diz-me.
“O que é que eu posso fazer e como?” – Pergunto aos céus. Um céu, agora, tão distante.

Contigo foram as raízes que me sustentavam. Ter-te sobrevivido 11 longos meses é uma morte lenta e dolorosa. Que ela acelere e me alivie, mãe.